Número total de visualizações de página

sábado, 20 de julho de 2013

ONTEM POR VÓS HOJE SEREMOS NÓS | Última informação | Maria Albertina Natividade da Purificação






Estou a começar a ouvir
A marcharem em fileiras
Lá estão eles a ressurgir
Enfeitados de bandeiras

 

Meu povo, minha nação
Minha pátria, minha gente
Pois não há quem se aguente
Com tamanha opressão
Pois se amanhã nem p’ró pão
Alguns vão ter que pedir
Não dá vontade de rir
Mas antes dá p’ra chorar
E já há gente a marchar
Estou a começar a ouvir

 

E no mastro da canoa
Meus olhos beijam o tejo
Por ser livre como o invejo
Tal qual gaivota que voa
A sobrevoar lisboa
Com bons modos e maneiras
E pressentem as canseiras
Daqueles que vão desfilando
E ao mesmo tempo cantado
A marcharem em fileiras

 

Mas eis que veio a polícia
P’ra acalmar estes protestos
De todos os manifestos
E deram como notícia
Que apareceram com perícia
Temos pois que admitir
Seremos mais a seguir
Que o meu povo não tem medo
Vou-te contar em segredo
Lá estão eles a ressurgir

 

As datas não estão previstas
Que seja p’la Alvorada
Que rasguem a madrugada
Que façam novas conquistas
P’ra abaterem os fascistas
Que só fazem asneiras
Vamos irromper fronteiras
Faça-se a revolução
Contra a voz da reação
Enfeitados de bandeiras

Sem comentários:

Enviar um comentário