Número total de visualizações de página

sábado, 20 de julho de 2013

Acordei Entristecida | Maria Albertina Natividade da Purificação






Ás minhas ricas filhas e aos meus ricos filhos do Montijo, de Portugal, D’Aquém e D’Além mar:
Um Santo Domingo p’ra Todos!

 

Acordei entristecida
Mas se quero galhofar
Raro é estar aborrecida
Pois vai-te embora tristeza
Vejam bem o meu azar
Nem sei bem por que razão
Sentou-se comigo à mesa
Uma ténue solidão

 

Abri então os postigos
Levantei as mãos aos céus
Lembrei-me dos meus amigos
Pôs-se a casa ensolarada
Dei então graças a Deus
E essa gratidão, mantenho
Pois sinto-me abençoada
P’los bons amigos que tenho

 

Pus-me então enternecida
Com tais almas radiosas
Que me enriquecem a vida
Dão-me afagos, dão-me alento
E essas pedras preciosas
Estão sempre em meu pensamento

 

Quero pois agradecer
Toda a generosidade
Que nunca a irei esquecer
Entra p’la minha janela
Obrigada ó Amizade
Apagas-me a solidão
Amizade que és tão bela
Enfeitas-me o coração

Sem comentários:

Enviar um comentário